sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Musicalidade Árabe


* Este post é material do Segundo Módulo do Curso de Aprofundamento em Danças Orientais ministrado por Yasmine Amar


1) Leitura Musical Árabe e Dança do Ventre




Quando falamos em leitura musical dentro da Dança Árabe, estamos adentrando na essência para a interpretação. Se pretendemos transmitir a música é preciso conhecer sua estrutura musical , em especial, sobre a maneira como ela é ouvida por quem a fez: os árabes. E para conhecer tudo isso, é preciso ouvir muita música árabe. De preferência, os compositores clássicos. É com base nesse estudo que podemos despertar nosso ouvido para compreender as nuances da musicalidade árabe.

A palavra "Musica" vem do grego "Mousiki" que significa a ‘ciencia de compor melodias’. Qilm al-musiqa era o nome dado pelos Arabes para a teoria Grega da música para distingui-la de Qilm al-ghinaa que era a teoria prática Arabe.



A formação de uma orquestra árabe é a mesma desde 1940. Isto se deve ao fato de que, naquela época, houve uma cantora muito famosa e especial, chamada Om Kalthoum, cuja orquestra tomou-se como referência.


Segundo o músico Mário Kirlis, na música oriental há uma predominância do melódico enquanto que , na música ocidental, predomina o harmônico. A música árabe desenvolveu-se com forte influência religiosa, quando a música não tem conotações religiosas, tem ao menos um sentido mais profundo e místico. Também é importante saber que para os árabes a música é muito importante.



A utilização de movimentos sinuosos e ondulatórios, braços, mãos, tremidos, batidas, deslocamentos vai depender exatamente do que a música estiver pedindo.


Muitas vezes , vemos bailarinas ocidentais desinformadas, desprezando a execução de melodias belíssimas para ler o ritmo da música desesperadamente. Ou ainda, executando oitos e redondos aleatoriamente a interpretação do instrumento melódico.


Tudo isso não passa despercebido aos ouvidos de uma bailarina estudiosa da musicalidade árabe. Comece pela melodia. Comece conhecendo os 4 nomes principais da música árabe: Mohammed Abdel Wahab, Farid El atrash, Om Kalthoum e Abdel Halim Hafez.

No caso específico da dança do ventre, música e expressão corporal nunca podem se separar. São duas coisas em fusão. A harmonia depende das duas coisas juntas. No Brasil, com essa tendência de misturar várias manifestações acontecem coisas inadequadas. O khaleege, por exemplo, passou a ser uma dança separada, mas não existe kaleege separado. É um folclore onde não existem danças individuais. Esquecem-se das tradições, não estudam o contexto cultural dos países onde as danças são praticadas. Procuram se informar apenas sobre o que está na moda em termos de dança e pronto! Tudo o que movimenta o corpo é considerado dança e fim de papo! Não é por aí. Têm que saber história, tradição, costumes, hábitos. A falta desse aprofundamento dá margem à criação desses equívocos como o que acabei de citar.No nordeste do Brasil, as mulheres ficam na beira do rio cantando, existem os repentistas, os homens na lavoura... E no mundo inteiro existem esses cantos, alguns para passar o tempo, etc. Até os soldados, cantam em seus treinamentos. Exércitos do mundo inteiro cantam. A música está em qualquer lugar onde a gente anda. Muito importante e as outras coisas se encaixam nela. Os sons... Tudo é musica.”
(Mahmoud El Masri, músico egípcio que reside no Brasil)


2) Os Grandes Nomes da Música Árabe



Mohamed Abdel Wahab


Este brilhante músico egípcio foi contemporâneo da era dourada da Dança do Ventre no Egito, época em que a dança passou das gawazee , nas ruas, para as telas dos cinemas. Apesar do fato de Abdel Wahab ter composto muitas canções e peças musicais na música árabe clássica, ele sempre foi criticado por sua orientação para a música ocidental, fato este que não aconteceu isoladamente, uma vez que toda a Dança para palco recebeu influência do Ballet Clássico. Esse compositor compôs 10 músicas para Om Kalthoum, dentre as quais, Leylet Hob (Noite de Amor), composta para um filme de mesmo nome.


Muitas músicas que nós, bailarinas , dançamos nos mais variados arranjos foram compostas por este músico, dentre elas, imprescindível citarmos:

Zeina
Nebtidi Mnein Al Hekaya
Leylet Hob (imortalizada na voz de Om Kalthoum)
Ya Msafer Wahdak
El Fen
Aziza
Mein Gher Leih
Enta Omri (imortalizada na voz de Om Kalthoum)
Fakarouni (imortalizada na voz de Om Kalthoum)
Aghadan Alkak
Daret Al ayam (imortalizada na voz de Om Kalthoum)
Alby
Farha
Alf Leyla We Leyla (imortalizada na voz de Om Kalthoum)
Bint El Baladi
Habayeb



 Farid El Atrash

Nasceu na Síria mas foi ainda criança para o Egito, Farid nasceu em família de músicos. Além de participar de inúmeros filmes, seu romance com a bailarina Samya Gamal inspirou inúmeras composições belíssimas. Foi justamente a influência que faz de sua música tão especialmente perfeita para a dança. A estrutura das peças clássicas compostas por Farid El Atrash é o que mais influencia o que nós bailarinas hoje conhecemos como música clássica árabe. Músicas como:

Joumana (conhecida tbem no Brasil como Fadwa)
Rabbie
Noura Noura
Gamil Gamal
Sahar
Hebbina Hebbina
Ana Wenta We Bas
Ya Wahshny




Om Kholtoum

(1904-1975) Om Kholtoum é a mais importante cantora árabe de todos os tempos.
Apesar de já ter falecido, tem uma  "onipresença" em todos os países árabes, notável até os dias de hoje.

"Imagine uma cantora com o virtuosismo de Joan Sutherland ou Ella Fitzgerald, a persona pública de Eleanor Roosevelt eo público de Elvis e você tem Om Kalthoum, a cantora mais bem sucedidos de seu século de vida no mundo árabe. ” 

Suas músicas tratam principalmente com os temas universais de saudade, amor e perda.
São essencialmente tarab apesar de muitas delas terem sido rearranjadas para bailarinas como Nagwa Fouad, por exemplo.

Sua potente voz grave quebrava até os microfones na sua época.
Diante tamanho significado para Cultura Árabe, dançar e interpretar uma música de Om Kholtoum é sem dúvidas uma responsabilidade. Exige da bailarina , no mínimo um estudo da peça musical escolhida. Dançar suas músicas demonstra um bom gosto musical e é muito importante ter ao menos uma música dela em seu repertório. Mas a mioria das grandes bailarinas dançam muitas músicas de Om Kolthoum.
Abaixo, algumas músicas imortalizadas pela cantora:

Hayyart Qalbi
Hobb Eih
Lessa Faker
Leilet Hobb
Siret El-Hobb
Daret El-Ayyam
Aghadan Alqak
Al-Atlal
Alf Leila we Leila
Amal Hayati
Ana F'entezarak
Ansak Ya Salam
Beeid Annak
El-Hobb Kolloh
Enta El-Hobb
Enta Omri
Esaal Rohak
Fakkarooni

Abdel Halim Hafez

Abd el Halim Ismail Shabana, mais conhecido por Abdel Halim Hafez (عبد الحليم حافظ) foi um dos mais populares cantores e atores egípcios em todo o mundo árabe e islâmico entre 1950 e 1970. É amplamente considerado um dos 4 maiores cantores árabes de todos os tempos.

É sem dúvidas um dos mais importantes músicos árabes, e o meu predileto!

A importância desse músico na minha dança é completamente imensurável. Foram as músicas dele, especialmente Zey El Howa, Sawah, Kariat El Fingan e Gan El Howa que me despertaram para um estudo mais aprofundado de musicalidade e interpretação e que me fez ver a necessidade de compreender além da música, os sentimentos que levaram a sua composição.

Suas canções são muito cantadas e dançadas até hoje e muito solicitadas quando dançamos para um público árabe e não leigo. Dentre elas:

Ahwak
Ala Hesb Wedad
Gabar
Gana El Hawa
Kariat El Fingan
Mawood
Nebtedy Menein El Hekaya
Sawah
Toba
Zay El Hawa
 
3) Taqsin

Taqsin , ao pé da letra, quer dizer improvisação melódica, podendo ser métricas ou não métricas, e que geralmente precede uma composição oriental árabe. O taqsim é geralmente realizado por um instrumento solista, mas às vezes o solista pode ser apoiada por um percussionista e um instrumentista tocando Ele é amplamente visto como uma arte de improvisação em um determinado maqam (é o sistema de modos melódicos utilizados na tradicional música árabe , que é essencialmente melódica)

Taqsim é considerado por muitos como uma conexão com o mundo espiritual.

Os instrumentos musicais comuns na execução de taqsins são: camanja (violino), accordeon, qannon, piano, nay, alaúde.

4) Tarab

Em árabe, a palavra "Tarab" طرب está conectada ao conceito de encantamento produzido pelos acordes melódicos.Antigamente sua orquestração era composta apenas por instrumentos clássicos tradicionais, e na percussão o pandeiro (req), fazia a parte principal, sendo dispensável o uso da tabla (derbake). O teor melódico realiza jogos complexos. Hoje é possível encontrar no tarab instrumentos ocidentais mais modernos.É um estado de transcendência que o artista e o público alcançam durante a apresentação. É um ingrediente essencial para uma boa apresentação de música clássica. Para ouvir tarab, dizem que é necessário uma dose de relaxamento e disposição para parar um pouco, beber algo agradável e apreciar, com calma e sem pressa, a música

6) Mawal

É um gênero tradicional de música vocal que é normalmente apresentado antes da música propriamente dita., onde é cantado o som de Ya Leil Ya 3ein.



 

























3 comentários:

  1. como sempre nos presenteando com seu conhecimento e generosidade!!!!

    bjs prof. querida!

    Triana Ballestá

    ResponderExcluir
  2. Seus materiais são ótimos! Bom trabalho, parabéns!
    Gosto muito de seu blog, apesar de não fazer comentários e talz... Estou te seguindo e sempre acompanhando-o! Continue a nos mostrar o quão belo é o mundo da música e dança árabe.

    ResponderExcluir
  3. Olá Yasmine, adorei os módulos!!!

    Parabéns!!!

    ResponderExcluir